logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Publicidade

Publicidade

Relator Reginaldo Lopes apresenta substitutivo que amplia cashback para famílias de baixa renda

COMPARTILHE

No dia 10 de julho de 2024, em uma sessão plenária que marcou um importante capítulo na história legislativa do Brasil, o deputado Reginaldo Lopes (PT-MG), relator da proposta de regulamentação da reforma tributária conforme a Emenda Constitucional 132, apresentou um substitutivo ao Projeto de Lei Complementar (PLP) 68/24, de autoria do Poder Executivo.

O projeto estabelece diretrizes essenciais para o funcionamento do novo Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), da Contribuição Social sobre Bens e Serviços (CBS) e do Imposto Seletivo (IS), tributos que emergiram da reforma tributária em curso. A proposta articula um complexo sistema de arrecadação que visa modernizar e tornar mais eficiente a cobrança de impostos no país.

O substitutivo apresentado por Reginaldo Lopes reflete amplamente a versão formulada pelo grupo de trabalho da Câmara dos Deputados que se debruçou sobre o tema. Lopes, que integra esse colegiado composto por sete parlamentares, aproveitou a ocasião para expressar sua gratidão pela colaboração recebida dos demais membros.

Dentre as alterações no substitutivo, destacam-se duas mudanças significativas relacionadas ao mecanismo de cashback, criado para restituir parte dos tributos pagos por famílias de baixa renda. Primeiramente, o cálculo do cashback passará a considerar as compras registradas nos CPFs de todos os membros de uma família, e não apenas do representante, como propunha inicialmente o Executivo. Além disso, o cashback será ampliado para permitir a devolução de 100% da CBS nas contas de energia elétrica, água, esgoto e gás natural, superando a previsão original de restituição de 50%.

Reginaldo Lopes sublinhou a amplitude do debate em torno da proposta, mencionando a realização de 22 audiências públicas e 231 mesas de diálogo, totalizando 218 horas de atividades. Nessas ocasiões, 1.344 cidadãos e representantes dos setores econômicos e de diferentes níveis de governo tiveram a oportunidade de expressar suas opiniões e contribuir com o processo.

O relator frisou que o substitutivo inclui ajustes técnicos significativos na versão do PLP 68/24 enviada pelo Executivo, eliminando obrigações acessórias e termos dúbios, sempre que possível, para aprimorar a clareza e a eficácia da lei.

O cenário no plenário foi marcado por uma votação acirrada onde foi rejeitado, por 309 votos a 139, um requerimento do PL que buscava adiar a discussão da matéria. Em seguida, iniciaram-se os debates sobre o substitutivo apresentado, o que promete mais deliberações intensas nas próximas sessões.

Este movimento é visto como um passo crucial para a implementação de uma reforma tributária há muito debatida no Brasil, que visa simplificar o sistema tributário, promover a justiça fiscal e fomentar o desenvolvimento econômico. Mais informações sobre o desenrolar das discussões e os próximos passos da tramitação da reforma serão divulgadas oportunamente.

Com informações e fotos da Câmara dos Deputados

0

LIKE NA MATÉRIA

Publicidade