logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Publicidade

Publicidade

Petrônio Portella é Inscrito no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria

COMPARTILHE

No dia 4 de julho de 2024, às 15h57, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados deu um passo significativo ao aprovar o Projeto de Lei 5342/19. Esse projeto visa inscrever o nome de Petrônio Portella no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria, um símbolo de reconhecimento mantido no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, localizado na emblemática Praça dos Três Poderes, em Brasília. A iniciativa agora aguarda a análise do Senado.

Petrônio Portella Nunes, figura destacada da política brasileira, nasceu em Valença do Piauí (PI) em 12 de outubro de 1925. Ele era formado em direito e iniciou sua trajetória política em 1954 como deputado estadual. A carreira de Portella foi marcada por diversas funções de relevo: foi prefeito de Teresina, senador, presidente do Senado e governador do Piauí. Sua atuação em múltiplas frentes configura um legado que continua a influenciar o cenário político nacional.

O deputado Flávio Nogueira (PT-PI), proponente do projeto, destacou a importância do homenageado para o desenvolvimento do Brasil. “Mestre da política, grande solucionador de conflitos, Petrônio Portella era sábio no gerenciamento de crises e sempre pautado pelos mais sólidos princípios morais e éticos. O piauiense revelou-se um ardoroso defensor da liberdade, tendo participações decisivas na história da Pátria, especialmente na condução do processo de redemocratização do país”, asseverou Nogueira, salientando a relevância histórica de Portella.

Arthur Oliveira Maia, relator na CCJ, também defendeu a aprovação da proposta, apoiando as emendas sugeridas pela Comissão de Cultura. Essas correções visam aprimorar aspectos técnicos do texto legal, garantindo maior precisão e clareza.

O Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria já contém nomes que marcaram profundamente a história do Brasil, como Tiradentes, Anita Garibaldi, Alferes Maria Quitéria de Jesus e o Barão do Rio Branco. A possível inclusão de Petrônio Portella neste seleto grupo seria um tributo a sua contribuição ímpar para a política nacional e para a luta pela redemocratização.

A aprovação deste projeto representa mais do que um ato formal; é um reconhecimento póstumo da significância de Petrônio Portella no cenário político nacional e um tributo à sua dedicação à causa da liberdade e da justiça no Brasil. Agora, cabe ao Senado dar continuidade a este processo, validando o reconhecimento de um dos grandes nomes da política brasileira.

Com informações e fotos da Câmara dos Deputados

0

LIKE NA MATÉRIA

Publicidade