logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Publicidade

Publicidade

Audiência pública debate modelo social de deficiência para autistas na Câmara dos Deputados

COMPARTILHE

Na próxima terça-feira, 2 de julho, a Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara dos Deputados realizará uma audiência pública de suma importância. O evento, que discutirá a inobservância do modelo social de deficiência no atendimento às demandas das pessoas autistas nas instituições públicas, foi proposto pelo deputado Geraldo Resende (PSDB-MS). Marcada para às 16 horas, a audiência ocorrerá no plenário 13 e contará com um formato interativo, permitindo a participação da sociedade por meio de perguntas e comentários. Para mais informações sobre os convidados e para enviar suas perguntas, acesse o site oficial da Câmara.

O cerne do debate reside na aplicação do modelo social da deficiência, que diverge substancialmente do modelo médico tradicional. O modelo social não define a deficiência como uma característica intrínseca ao indivíduo, mas sim como o resultado de barreiras sociais e ambientais que limitam a participação dessas pessoas na sociedade de maneira plena e equitativa. Conforme elucidado pelo deputado Geraldo Resende, enquanto o modelo médico enxerga a deficiência como uma condição patológica passível de tratamento ou cura, o modelo social preconiza a remoção de obstáculos físicos e sociais. “Precisamos eliminar barreiras arquitetônicas, como a inacessibilidade em edifícios e transportes, além de superar preconceitos e discriminações,” ressalta o deputado.

Geraldo Resende expressou sua preocupação com a falta de adesão das instituições públicas ao modelo social de deficiência, agravando os desafios enfrentados pelas pessoas autistas. Para ele, é mandatória a implementação de políticas públicas específicas que promovam a inclusão e acessibilidade, bem como a capacitação contínua de profissionais nas instituições estatais. “É crucial mudarmos a visão e as práticas no atendimento às demandas das pessoas autistas. Precisamos de profissionais qualificados e instituições preparadas para oferecer um apoio que verdadeiramente contemple suas necessidades,” enfatiza.

A audiência pública promete ser uma plataforma vital para discutir essas questões, trazendo à tona diversas perspectivas sobre como o modelo social pode ser efetivamente implementado no Brasil. A expectativa é que destaques desse debate possam orientar futura legislação e medidas administrativas, visando promover um ambiente mais inclusivo e equitativo para as pessoas autistas. A comunidade e os interessados no tema são fortemente encorajados a participar e contribuir com suas visões e experiências, fortalecendo assim o compromisso coletivo com a defesa dos direitos das pessoas com deficiência.

Com informações e fotos da Câmara dos Deputados

0

LIKE NA MATÉRIA

Publicidade