logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Cresce número de mortes de motociclistas em Alagoas; 60% das vítimas fatais usavam motos ou triciclos

COMPARTILHE

As estatísticas de acidentes de trânsito em Alagoas têm mostrado uma realidade alarmante: quase 60% das mortes registradas envolveram motociclistas e condutores de triciclos. Dos 580 óbitos documentados, 344 ocorreram com motoristas desse tipo de veículo. Esses dados preocupantes foram divulgados durante a Campanha Maio Amarelo, que busca conscientizar a população sobre a importância de seguir as normas de trânsito para diminuir a mortalidade nas vias.

O Sistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde (SIM/MS) identificou que a IX Região de Saúde de Alagoas foi a mais impactada, registrando 23,2 mortes para cada 100 mil habitantes. Essa região abrange 14 municípios, todos localizados no Sertão alagoano. Nessas cidades, é comum observar motociclistas conduzindo seus veículos sem capacete e, em alguns casos, sem possuir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Apesar das preocupantes estatísticas, houve uma redução de 3,7% no número de mortes em relação ao ano anterior. Mesmo assim, as autoridades ressaltam a necessidade de um comportamento responsável no trânsito para evitar acidentes fatais. Rita Murta, gerente de Vigilância e Controle de Doenças não Transmissíveis da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), enfatiza a importância da conscientização dos motociclistas quanto ao uso de equipamentos obrigatórios, como capacetes.

O perfil das vítimas fatais em acidentes de trânsito em Alagoas revela que 86% eram homens, com idades entre 20 e 39 anos. Além disso, 40% dos óbitos ocorreram ainda na via, antes que as vítimas pudessem receber atendimento médico. Gustavo Pontes de Miranda, secretário de Estado da Saúde, alerta que acidentes de trânsito podem deixar sequelas graves nos motociclistas, prejudicando significativamente suas vidas.

Os principais fatores de risco identificados para acidentes de trânsito incluem excesso de velocidade, uso de dispositivos eletrônicos durante a condução, falta de atenção, ingestão de bebidas alcoólicas e a não utilização de itens de segurança obrigatórios, como cintos de segurança e capacetes. A conscientização e a mudança de comportamento dos condutores são essenciais para garantir um trânsito mais seguro e evitar tragédias nas vias de Alagoas.

A situação ressalta a necessidade contínua de campanhas educativas e ações de fiscalização para coibir práticas imprudentes. A adoção de medidas preventivas pode salvar vidas e reduzir os custos sociais e econômicos derivados dos acidentes de trânsito. Portanto, a colaboração de todos, desde os condutores até as autoridades, é crucial para tornar as estradas de Alagoas mais seguras para todos.

0

LIKE NA MATÉRIA