logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Publicidade

Publicidade

Congresso aprova reforma do Ensino Médio com mudanças significativas no currículo em direção à sanção presidencial.

COMPARTILHE

Após nove meses de tramitação intensa e sucessivos ajustes, o novo texto da reforma do ensino médio foi aprovado no Congresso e agora aguarda a sanção presidencial para entrar em vigor. As mudanças propostas impactarão diretamente a forma como o ensino médio é estruturado no Brasil, com previsão de aplicação já a partir de 2025 para os alunos que ingressarem nessa etapa de ensino.

Uma das principais mudanças diz respeito à carga horária da formação geral básica, que passará a ser de 2,4 mil horas nos três anos do ensino médio. Além disso, outras 600 horas serão dedicadas a disciplinas dos itinerários formativos, que agora oferecem opções optativas para os estudantes escolherem de acordo com seus interesses e aptidões. Com isso, a carga horária total do ensino médio será de 3 mil horas, distribuídas ao longo de 200 dias letivos de cinco horas cada.

Essas alterações no ensino médio representam uma resposta às reivindicações da comunidade escolar e de entidades ligadas à educação, que demonstraram insatisfação com o modelo anterior implementado em 2022, que reduziu a formação geral para 1,8 mil horas. Portanto, a nova reforma busca reequilibrar a carga horária e garantir uma formação mais abrangente e completa para os estudantes.

Outro ponto relevante dessa reforma é a definição de quatro itinerários formativos: linguagens e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias, ciências da natureza e suas tecnologias, e ciências humanas e sociais aplicadas. Essa medida visa padronizar e garantir uma maior qualidade na oferta de disciplinas optativas, evitando desigualdades entre os estados e municípios.

Além disso, a nova reforma do ensino médio estabelece que, a partir de 2027, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) passará a cobrar conteúdos dos itinerários formativos, ampliando ainda mais a abrangência e relevância do exame. Essa medida visa incentivar os estudantes a se aprofundarem em áreas específicas de conhecimento e a ampliar suas possibilidades de carreira e formação.

Por fim, a reforma também prevê a manutenção de pelo menos uma escola com ensino médio regular noturno em cada município brasileiro, garantindo o acesso de jovens e adultos a essa etapa de ensino mesmo para aqueles que trabalham durante o dia. Essa medida visa democratizar o acesso à educação e promover a inclusão de todos os cidadãos no sistema educacional.

Com informações da EBC
Fotos:

© Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

0

LIKE NA MATÉRIA

Publicidade