logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Brasil foi o primeiro país a ofertar vacina pública e gratuita contra Dengue pelo SUS

COMPARTILHE

O Brasil deu um passo importante ao disponibilizar vacinas contra a dengue no sistema público de saúde, tornando-se o primeiro país do mundo a fazê-lo. As vacinas, produzidas pelo laboratório japonês Takeda, serão inicialmente direcionadas para regiões com maior incidência e transmissão do vírus, beneficiando crianças e adolescentes com idades entre 10 e 14 anos.

A vacina, chamada Qdenga, passou pela avaliação da Comissão Nacional de Incorporações de Tecnologias (Conitec) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) e está prevista para atender municípios de grande porte com alto índice de transmissão nos últimos dez anos e população residente igual ou superior a 100 mil habitantes.

O público-alvo em 2024 serão crianças e adolescentes, faixa etária que registra o maior número de hospitalizações por dengue. O esquema vacinal consiste em duas doses, com um intervalo de três meses entre elas.

A dengue é uma doença viral transmitida por mosquitos infectados, podendo ser causada por quatro sorotipos virais distintos. A vacina Qdenga é tetravalente, produzida a partir do vírus vivo atenuado, estimulando a resposta imune do organismo de forma semelhante à exposição natural ao vírus. Aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em março de 2023, a vacina foi submetida a estudos com mais de 28 mil pessoas, incluindo crianças e adultos.

Antes de sua incorporação ao SUS, a Qdenga passou pela avaliação da Conitec, vinculada à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde.

A vacinação inicialmente se concentra em crianças e adolescentes de 10 a 14 anos, visando regiões com alta incidência da doença. Estudos envolveram mais de 20 mil crianças e adolescentes saudáveis de regiões endêmicas, com o esquema vacinal composto por duas doses administradas com um intervalo de 90 dias.

A eficácia da vacina Qdenga foi comprovada em estudos, demonstrando proteção contra os sorotipos virais predominantes da dengue. A vacinação é contraindicada para gestantes, lactantes e pessoas com imunodeficiência. A disponibilização da vacina contra a dengue pelo SUS representa um avanço significativo na prevenção da doença, especialmente em regiões afetadas pela transmissão do vírus.

A vacinação contra a dengue é fundamental para reduzir a incidência da doença e seus impactos na saúde pública, representando um importante avanço na proteção da população contra a dengue.

2

LIKE NA MATÉRIA