logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Defesa Civil de Maceió recomenda redução da área interditada na lagoa Mundaú, liberando pesca em região demarcada com boias.

COMPARTILHE

No mapa, é possível conferir a delimitação da área que continua interditada. Imagem: Centro Integrado de Montagem e Alerta da Defesa Civil de Maceió (CIMADEC)

A Defesa Civil de Maceió, em uma atitude preventiva e visando a segurança dos pescadores que atuam na região das minas de sal-gema da Braskem, recomendou oficialmente à Capitania dos Portos de Alagoas a diminuição da área delimitada na lagoa Mundaú. Essa região está interditada desde novembro de 2023, quando ocorreu o colapso da mina 18, o que impossibilitou a prática da pesca em toda a área demarcada.

Segundo Abelardo Nobre, coordenador-geral da Defesa Civil de Maceió, a medida foi tomada para evitar colocar em risco a vida dos pescadores devido ao perigo iminente de novos colapsos nas minas e em decorrência dos estudos e monitoramentos em andamento na área. Após a redução dos riscos e a retomada das atividades, incluindo o preenchimento das minas, o órgão decidiu recomendar a diminuição da área de proibição da pesca.

“Nossa prioridade é sempre a segurança da população. Quando não há mais riscos iminentes, podemos reduzir a área delimitada”, ressaltou o coordenador. A partir de ontem (21), a área delimitada foi modificada e a pesca está liberada até a região demarcada com boias, enquanto a área mais próxima das minas permanece interditada.

No mapa disponibilizado pelo Centro Integrado de Montagem e Alerta da Defesa Civil de Maceió (CIMADEC), é possível visualizar a delimitação da área que ainda está interditada. A recomendação da Defesa Civil é mais um passo na busca pela segurança e bem-estar dos trabalhadores e moradores da região afetada pelo colapso das minas de sal-gema da Braskem.