logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Publicidade

Publicidade

OMS lança guia inédito para tratamento de tabagismo, com apoio profissional e tratamentos farmacológicos.

COMPARTILHE

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou recentemente um conjunto inédito de diretrizes voltadas para o tratamento do tabagismo. Essas diretrizes visam auxiliar um número expressivo de mais de 750 milhões de usuários de tabaco em todo o mundo que desejam abandonar o consumo desses produtos, incluindo cigarros tradicionais, narguilés, charutos, entre outros.

Pela primeira vez, a OMS apresenta recomendações que abrangem intervenções comportamentais, tratamentos farmacológicos e suporte digital. O objetivo principal é fornecer ferramentas e orientações que possam aumentar a eficácia dos tratamentos, ajudando a reduzir o número de fumantes e os problemas de saúde associados ao tabagismo.

Segundo o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, essas diretrizes representam um marco significativo na luta global contra o tabagismo e seus efeitos nocivos à saúde. Estima-se que mais de 60% dos usuários de tabaco em todo o mundo tenham o desejo de parar de fumar, mas apenas 30% têm acesso a tratamentos eficazes.

As recomendações incluem a utilização de tratamentos farmacológicos como a vareniclina, que auxilia na redução do desejo de fumar e no alívio dos sintomas de abstinência, e a terapia de reposição de nicotina, que pode ser feita através de diferentes formas como goma de mascar, pastilhas ou adesivos.

Além dos tratamentos medicamentosos, a OMS destaca a importância das intervenções comportamentais, que podem variar desde um aconselhamento breve até suporte mais intensivo individual ou em grupo. A entidade também incentiva o uso de intervenções digitais, como aplicativos para smartphones e programas de internet, como forma de complementar o tratamento e auxiliar no monitoramento do processo de cessação do tabagismo.

Essas diretrizes visam sensibilizar os governos e profissionais de saúde para a necessidade de disponibilizar tratamentos eficazes de forma gratuita ou a custos reduzidos, garantindo um acesso mais amplo, especialmente em países de baixa e média renda. Com medidas integradas e abrangentes, espera-se reduzir significativamente os índices de tabagismo e seus impactos negativos na saúde pública em nível mundial.

Com informações da EBC
Fotos: © Divulgação/Banco Mundial/ONU / EBC

0

LIKE NA MATÉRIA

Publicidade