logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Marcelo Freixo declara necessidade de investigar desdobramentos do caso Marielle em entrevista exclusiva no DR.

COMPARTILHE

O caso Marielle Franco ainda é objeto de investigações e polêmicas, mesmo após anos dos graves acontecimentos que chocaram o Brasil. A morte da vereadora e de seu motorista, Anderson Gomes, em 2018, permanece envolta em mistérios e questionamentos. O presidente da Embratur, Marcelo Freixo, que mantinha uma estreita relação com Marielle, defende que há muito a ser investigado além do que já foi descoberto durante as apurações.

Freixo, que foi deputado federal, destaca a seriedade e correção da investigação, apesar dos inúmeros obstáculos e tentativas de obstrução ao longo do processo. Ele afirma que o assassinato de Marielle expôs um “bueiro” grave dentro da segurança pública do Rio de Janeiro, revelando questões profundas e estruturais que não podem ser ignoradas.

Durante uma entrevista ao programa DR com Demori, Freixo ressaltou a importância de se aprofundar na atuação das milícias no Rio de Janeiro, comparando-as à máfia italiana. Segundo ele, as milícias têm origens profundas no poder político e econômico, utilizando a violência e o crime como instrumentos de controle e manipulação. Freixo, que presidiu a CPI das Milícias na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, levou o relatório das investigações a diferentes países em busca de apoio e compreensão sobre a grave situação enfrentada no estado.

A complexidade das relações entre crime organizado, política e segurança pública são temas recorrentes nas discussões de Freixo, que acredita na necessidade de aprofundamento e investigação contínua para combater esses problemas estruturais. O assassinato de Marielle Franco não foi apenas um crime isolado, mas um atentado contra a democracia e os direitos fundamentais de todos os cidadãos.

Ao trazer à tona essas questões e desafios, Freixo busca não apenas justiça para o caso Marielle, mas também uma reflexão profunda sobre os rumos da segurança pública e da política no Brasil. É necessário, segundo ele, enfrentar de frente as milícias, a corrupção e a impunidade que permeiam as instituições públicas e privadas, garantindo assim um futuro mais justo e seguro para todos os brasileiros.

Com informações da EBC
Fotos: © Joédson Alves/Agência Brasil / EBC

0

LIKE NA MATÉRIA