logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Inflação de maio atinge 0,46%, puxada por alimentos: Rio Grande do Sul foi influenciador

COMPARTILHE

Em maio, a inflação oficial do Brasil atingiu 0,46%, o que representou uma aceleração em relação aos 0,38% registrados no mês de abril. O principal fator que contribuiu para esse aumento foi o grupo de alimentos, que apresentou uma alta de 0,62% no mês. No acumulado do ano, a inflação chegou a 2,27%, enquanto nos últimos 12 meses foi de 3,93%, dentro da meta estabelecida pelo governo de 3% com tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

Dentre os alimentos que mais contribuíram para a alta da inflação, destacam-se os tubérculos, raízes e legumes, que aumentaram 6,33% em maio. A batata-inglesa foi o destaque, com uma alta de 20,61%, sendo o item que mais impactou no resultado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O gerente da pesquisa do IBGE, André Almeida, explicou que a redução da oferta desse alimento devido ao final da safra das águas e ao início mais lento da safra das secas contribuiu para o aumento de preços, assim como as fortes chuvas que atingiram o Rio Grande do Sul, importante região produtora.

Outros alimentos que tiveram altas significativas foram a cebola (7,94%), o leite longa vida (5,36%) e o café (3,42%). No entanto, o aumento dos preços foi suavizado pela queda de alguns itens, como as frutas, e pela maior oferta de banana d’água, que reduziu os preços da banana prata.

Além dos alimentos, o grupo de habitação também contribuiu para a aceleração da inflação, com destaque para a alta da energia elétrica residencial. O aumento nos preços da passagem aérea e dos combustíveis também influenciou o resultado do IPCA em maio.

É importante ressaltar que a região metropolitana de Porto Alegre, atingida por uma calamidade climática, foi a área que registrou o maior índice de inflação em maio. Os efeitos dessa situação adversa ainda serão observados nos próximos meses e poderão impactar os preços de alimentos e outros produtos, como o gás de botijão.

Por fim, apesar da aceleração da inflação em maio, o índice acumulado de 12 meses permanece dentro da meta estabelecida pelo governo. O IPCA e o INPC, que reflete o consumo das famílias de renda mais baixa, ambos apresentaram aumentos em maio, evidenciando os desafios enfrentados pelo país em relação à economia e aos preços. A situação do Rio Grande do Sul, somada aos demais fatores, contribui para a complexidade do cenário inflacionário no Brasil.

Com informações da EBC
Fotos: © Marcello Casal JrAgência Brasil / EBC

0

LIKE NA MATÉRIA