logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Publicidade

Publicidade

Escolas e eventos adotam iniciativas Lixo Zero para redução de resíduos urbanos

COMPARTILHE

Iniciativas apontam soluções eficientes para resíduos urbanos no Brasil, que gerou 80 milhões de toneladas de “lixo” em 2022. Diversas propostas têm surgido em diferentes localidades do país para tentar combater o problema dos resíduos sólidos de forma mais eficiente através do conceito de “Lixo Zero”.

Um exemplo notável é o caso de uma escola pública em São José, Santa Catarina, que se tornou a primeira escola certificada como Lixo Zero no Brasil. Tudo começou com uma aula de Língua Portuguesa, ministrada pela professora Fabiana Nogueira Mina, que abordou o tema dos resíduos urbanos. A partir daí, os alunos se envolveram em debates e atividades práticas que os levaram a repensar seu consumo e impacto ambiental.

A professora Fabiana relata que a escola se tornou um verdadeiro laboratório de experimentação, onde cada erro e desafio enfrentado serviu de aprendizado para encontrar soluções inovadoras. Uma delas foi a criação de um “residuário”, onde os materiais eram higienizados e organizados pelos próprios alunos para destinação adequada.

Além disso, os educadores envolveram outras disciplinas no debate sobre resíduos, incentivando a abordagem transversal do tema. Com a compostagem dos resíduos orgânicos na escola e a doação do material reciclável a cooperativas, a escola conseguiu desviar 94% dos resíduos do aterro sanitário e obteve a certificação de Lixo Zero.

Outro caso exemplar é o de um festival de música em Brasília, que se tornou o primeiro festival do país a adotar o conceito de Lixo Zero. Inicialmente, o evento gerava cerca de 400 toneladas de resíduos anualmente, mas, com um planejamento estratégico baseado no consumo consciente e na redução da pegada ambiental, o festival conseguiu desviar até 98,2% dos resíduos do aterro sanitário.

A iniciativa envolveu a eliminação de itens não essenciais, a substituição de materiais convencionais por outros mais sustentáveis e a destinação adequada do resíduo gerado. Mesmo enfrentando desafios, como a falta de infraestrutura local para reciclagem de vidro, os produtores do festival conseguiram viabilizar novos empreendimentos e cadeias produtivas na região.

Ambos os casos de sucesso serão discutidos no Congresso Internacional Cidades Lixo Zero, que reúne gestores e empresários em busca de soluções sustentáveis para o gerenciamento de resíduos. A ideia é que esses exemplos possam inspirar mais iniciativas em todo o país e promover uma transformação cultural e social em prol de cidades mais limpas e equitativas. É através do engajamento coletivo e da cooperação que poderemos construir um futuro mais sustentável para o nosso planeta.

Com informações da EBC
Fotos: © Divulgação/Recicla Latas / EBC

0

LIKE NA MATÉRIA

Publicidade