logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Cheias afetam metrô: sistema volta a operar limitadamente em Porto Alegre

COMPARTILHE

O metrô da região metropolitana de Porto Alegre voltou a operar nesta quinta-feira (30), marcando um momento de grande alívio para os moradores da área. Após semanas de inatividade causada pela cheia do Rio Guaíba, que inundou uma grande parte do sistema e danificou as subestações de energia que alimentam os trens, a retomada das operações foi recebida com entusiasmo pela população.

Conhecida como “trilhos humanitários” pela concessionária Trensurb, a nova operação foi iniciada em um trecho limitado, entre as estações Novo Hamburgo e Mathias Velho, no bairro de Canoas, que foi duramente afetado pelas enchentes. O funcionamento está programado das 8h às 18h, com intervalos de 35 minutos, e por enquanto, não há cobrança de passagens.

A empresa divulgou em suas redes sociais entrevistas com usuárias aliviadas e felizes com a volta do metrô, destacando a oportunidade de poderem retornar ao trabalho após mais de 20 dias impedidas de fazê-lo devido à falta de transporte público.

A operação de emergência abrange 13 estações em cinco municípios diferentes, com capacidade para atender cerca de 30 mil passageiros por dia, em um trajeto de 26 quilômetros. Em condições normais, o metrô tem capacidade para atender 110 mil pessoas diariamente. Neste momento, três trens estão em circulação nessa fase de retomada.

Apesar da retomada parcial das atividades, a concessionária não divulgou uma previsão para a normalização dos serviços nas demais estações, incluindo as da capital, Porto Alegre. Diversos desafios ainda precisam ser superados, como a revitalização de trechos de trilhos danificados pelas enchentes e a reparação das subestações de energia que ainda não estão operando.

Com o auxílio de uma medida provisória do governo federal, que destinou recursos significativos para a recuperação do sistema de metrô de Porto Alegre, a Trensurb planeja retomar o funcionamento do sistema de bilhetagem danificado em um prazo de 30 dias. Além disso, a empresa está trabalhando arduamente para normalizar todas as operações o mais rápido possível e atender plenamente a demanda dos passageiros.

Com informações da EBC
Fotos: © Rafa Neddermeyer/Agência Brasil / EBC

0

LIKE NA MATÉRIA