logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Avanço da extrema-direita pode impactar agenda ambiental global, dizem especialistas.

COMPARTILHE

O avanço da extrema-direita no Parlamento Europeu vem despertando preocupações em relação às possíveis influências na agenda ambiental global. Especialistas apontam que, apesar de esse movimento ser limitado em número de países, suas posições negacionistas em relação ao aquecimento global podem impactar diretamente as medidas adotadas em todo o mundo para combater as mudanças climáticas.

As legendas de extrema-direita costumam negar as evidências científicas que apontam a ação do ser humano como responsável pelo aquecimento da Terra. Essa postura encontra paralelos nos Estados Unidos, especialmente no Partido Republicano liderado por Donald Trump, que se candidatará novamente à presidência em novembro deste ano. A própria Europa já vem observando retrocessos na pauta ambiental, mesmo antes das eleições.

No contexto brasileiro, a professora de Relações Internacionais Natalia Fingermann, do Ibmec de São Paulo, destaca que as mudanças na Europa e nos Estados Unidos podem ter implicações para o Brasil. O governo atual busca se posicionar como uma liderança global em questões ambientais, porém, a resistência da extrema-direita e de políticas protecionistas pode dificultar que o Brasil avance nessa agenda.

Além disso, as mobilizações recentes na França, envolvendo principalmente agricultores contra mudanças nas regras ambientais, evidenciam a sensibilidade dessas questões em diversos setores. O crescimento de partidos de extrema-direita na Europa tem levado os partidos de centro-direita e centro-esquerda a adotarem posturas mais duras em relação à imigração e à proteção ambiental, o que pode redefinir o cenário político do continente.

O fortalecimento da extrema-direita na Europa pode também impactar organizações internacionais, como o Banco Mundial e a ONU, colocando em risco projetos de cooperação e financiamento para países em desenvolvimento. A relação estreita dessa corrente política com o governo de Israel e suas repercussões na guerra na Faixa de Gaza também são questões que precisam ser consideradas.

Em meio a essas mudanças, especialistas alertam para a necessidade de compreender as nuances e os desdobramentos desse avanço da extrema-direita, tanto na Europa como em outras regiões. O Parlamento Europeu, por exemplo, embora com funções limitadas em relação aos parlamentos nacionais, desempenha um papel importante nas relações comerciais e diplomáticas do bloco com outros países. Nesse sentido, as eleições recentes são vistas não apenas como termômetros das relações internas da Europa, mas como indicativos de possíveis transformações em escala global.

Com informações da EBC
Fotos: © Rovena Rosa/Agência Brasil / EBC

0

LIKE NA MATÉRIA