logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Publicidade

Publicidade

Estudo revela alterações climáticas em florestas tropicais devido ao aquecimento global.

COMPARTILHE

Um estudo recente analisou dados de 300 mil pontos de coleta em florestas tropicais ao redor do mundo, incluindo regiões como Brasil, Peru, Uganda, República Democrática do Congo e Malásia. Os resultados revelaram que áreas como os Andes e o sul da Amazônia foram as mais afetadas por alterações de temperatura. Essas mudanças climáticas têm o potencial de impactar a biodiversidade e as funções ecológicas dessas florestas, ressaltando a importância de sua conservação para o clima global.

Especialistas apontam que as principais causas dessas mudanças são as queimadas, desmatamentos na Amazônia e o consumo global de combustíveis fósseis. Mesmo as áreas de florestas tropicais mais conservadas estão sofrendo com as alterações climáticas devido ao aquecimento global. Um estudo de modelagem de microclima analisou a temperatura média em aproximadamente 9 milhões de quilômetros quadrados de florestas nos últimos trinta anos, revelando que o regime de temperatura tem se desviado da média histórica.

As descobertas desafiam a ideia de que as copas das florestas tropicais têm a capacidade de mitigar os impactos das mudanças climáticas. A temperatura é um fator crucial na distribuição das espécies e na função ecológica das florestas, destacando a sensibilidade desses ecossistemas às pequenas variações climáticas. A América Latina, especialmente o sul da Amazônia e os Andes, foi uma das regiões mais afetadas pelas mudanças de temperatura.

A conservação e restauração das florestas tropicais se mostram fundamentais diante dessas alterações. As áreas mais fragmentadas parecem ser mais resistentes às variações climáticas, sugerindo que podem servir como refúgios climáticos essenciais para a biodiversidade. A proteção dessas áreas e a redução das emissões de carbono são vitais para mitigar os danos aos ecossistemas florestais tropicais globais.

As evidências apresentadas nesse estudo indicam um efeito cascata de perda de biodiversidade e aquecimento global, ressaltando a necessidade de uma abordagem mais ampla e urgente para lidar com essas questões. Mudanças no estilo de vida, esforços de conservação e ações para combater o desmatamento e as queimadas na Amazônia são cruciais para garantir a sobrevivência desses ecossistemas vitais para o planeta.

Com informações da Embrapa
Fotos: Foto: Alexander Lees / Embrapa

0

LIKE NA MATÉRIA

Publicidade