logo_mco_2023_200X75
logo_mco_120X45

Publicidade

Publicidade

Embrapa lança novos concentrados proteicos de lentilha e grão-de-bico com alto teor de proteína.

COMPARTILHE

A Embrapa Agroindústria de Alimentos lançou dois novos concentrados proteicos no mercado brasileiro, de lentilha e grão-de-bico, com o potencial de aumentar a disponibilidade e diversificação de ingredientes usados na produção de alimentos à base de plantas. Essas inovações se somam ao concentrado proteico de feijão desenvolvido pela mesma equipe em 2023, e são semelhantes aos concentrados de soja e ervilha já disponíveis no mercado.

O concentrado de lentilha apresenta uma incrível quantidade de 80 gramas de proteína para cada 100 gramas do produto, o que representa 80% de proteína. Já o concentrado de grão-de-bico possui aproximadamente 73 gramas de proteína para 100 gramas, o que equivale a 73% de proteína. Esses ingredientes proporcionam um acréscimo significativo de proteínas em alimentos à base de vegetais, como hambúrgueres, empanados, salsichas, linguiças, bebidas vegetais e iogurtes. Além disso, podem ser utilizados em panificação, bebidas proteicas e suplementos alimentares, embora não tenham sido desenvolvidos para substituir o whey protein.

As pesquisadoras responsáveis pelo desenvolvimento desses concentrados levaram em consideração o alto teor de proteína naturalmente encontrado nas pulses, sementes comestíveis de plantas da família das leguminosas. Estas pulses contêm de 20% a 30% de proteína e são amplamente consumidas em todo o mundo, sendo candidatas ideais para a produção de concentrados proteicos. O grão-de-bico e a lentilha foram escolhas especialmente promissoras devido à sua crescente popularidade no Brasil e à versatilidade de produção.

Os concentrados de lentilha e grão-de-bico também são opções interessantes para substituir ingredientes proteicos derivados de soja, bastante conhecidos no mercado. As pesquisadoras destacam que esses ingredientes podem ser usados para melhorar as características tecnológicas dos alimentos, como viscosidade, estabilização de espumas e textura, ampliando assim a oferta de produtos voltados para consumidores que buscam alimentos à base de plantas, como veganos, vegetarianos e flexitarianos.

Além disso, testes sensoriais realizados com voluntários mostraram que os alimentos feitos com os concentrados de lentilha e grão-de-bico foram tão bem aceitos quanto aqueles feitos com um concentrado proteico comercial. Esses concentrados têm um sabor neutro, o que não interfere significativamente no gosto final dos produtos, e suas propriedades tecnológicas permitem sua aplicação em uma variedade de produtos processados.

Por fim, o estudo também investigou o aproveitamento dos resíduos gerados durante a extração das proteínas de lentilha e grão-de-bico. Foi possível obter ingredientes como amidos e fibras alimentares a partir desses resíduos, demonstrando um processo de economia circular que busca fechar todas as cadeias de produção, com menor impacto ambiental e sem o uso de reagentes químicos prejudiciais ao meio ambiente.

No geral, esses concentrados proteicos representam uma importante inovação no mercado de alimentos à base de plantas, oferecendo alternativas sustentáveis e nutritivas para consumidores conscientes e preocupados com sua saúde e o meio ambiente.

Com informações da Embrapa
Fotos: Foto: Kadijah Suleiman / Embrapa

0

LIKE NA MATÉRIA

Publicidade